>"CAÇADOR DE RECOMPENSAS" – Crítica do filme

>

(Felipe Brandão)
Em cartaz no cinema brasileiro há algumas semanas, Caçador de Recompensas é um filme comum, o que não o impede de ser diversão garantida. Pese a onipresença de clichês, o diretor Andy Tennant (de Hitch – Conselheiro Amoroso e o simpático Doce Lar) conseguiu fazer dessa sua recente produção uma opção interessante e acertada de entretenimento para gostos variados. Ainda é cinema pop, mas a mistura de gêneros que nem sempre se cruzam, como a comédia romântica e a adrenalina policial, imprime um diferencial ao filme e o torna mais aderente ao ecletismo do público. O que também é mérito da roteirista Sarah Thorp, que montou esse “híbrido” de maneira competente, embora não infalível.

A premissa da história é manjada, mas empolgante. O atrapalhado brutamontes Milo Boyd (Gerard Butler, A Verdade Nua e Crua) é “obrigado” a sair ao enlcanço de sua própria ex-esposa, Nicole (Jennifer Aniston, Fora de Rumo), a fim de ganhar a recompensa prometida pela polícia por seu paradeiro. Nicole, por sua vez, é uma intrépida jornalista que investiga um incógnito caso de suicídio; ela foi dada como foragida ao não comparecer a uma intimação judicial para correr atrás de pistas desse mistério – daí a principal razão de ter virado “presa” de Milo. Os dois ex-cônjuges entravam uma divertida disputa ao melhor estilo gato-e-rato, ao mesmo tempo em que, com essa aproximação involuntária, têm a oportunidade de rever os conflitos e malentendidos que geraram seu divórcio e, de repente, até cogitar a chance de reconciliação – por mais que ambos, orgulhosos e independentes, resistam em admitir essa possibilidade. O mote garantiria – de fato garante – o cenário ideal para um filme que tem por base a comicidade e o melodrama leve. Alguns problemas aparecem, no entanto, graças à quantidade de núcleos e personagens paralelos que acompanham às vezes atravancam a ação do enredo central, por mais que estejam devidamente interligados a ele.

Explica-se: a missão investigativa de Nicole vai-se revelando mais perigosa à medida que a história avança; logo entra em cena um vilão sanguinário (Peter Greene) disposto a acabar com a jornalista enxerida que se meteu em seus negócios, provocando uma virada na relação de inimizade entre os pombinhos – em dado momento, de perseguidor Milo passa a protetor de Nicole. Apenas isso já geraria uma subtrama eficiente; só que em seguida se descobre que Milo possui uma dívida de jogo altíssima com uns bicheiros barra-pesada, os quais mandam seus capangas atrás dele para “cobrar” o débito de uma maneira ou de outra. A interferência de outros personagens, como Stewart (Jason Sudeikis), colega de trabalho de Nicole que acha que ela está interessada nele, também contribuem para afastar um pouco o filme de seu foco. Vale porém ressaltar que, embora devessem ter sido melhor adequados ao contexto, nenhum desses fatores prejudica significativamente o desempenho de Caçador de Recompensas.

Em meio a estes pequenos tropeços, a trama entre Nicole e Milo segue como deve ser. Os dois se ofendem e se consolam, se amam e se trapaceiam, num jogo de interesses e sentimentos que são tratados com a devida despretensão e diálogos hilários! Destaque para a incrível sequência em que Nicole, ao ser forçada a pagar a carona a um rapaz “mostrando os peitos”, engana-o e foge com sua bicicleta. As cenas de ação também não fazem feio, e servem como um “tempero extra” ao tom cômico-romântico que predomina. No fim das contas, o filme só deixa a desejar pelo desfecho do casal, um pouco brusco e improvisado, não tendo levado o destaque que merecia. Provavelmente, não sobrou espaço para um final melhor, graças ao tempo perdido com os já citados excessos dispensáveis.

No campo das interpretações, é obrigatório citar o brilho de Jennifer Aniston e Gerard Butler, impagáveis e apaixonantes como os complicados Milo e Nicole. Como já vimos em A Verdade Nua e Crua, os tipos “canalhescos” caem muito bem a Butler. Menção honrosa ainda às atuações coadjuvantes de Christine Baranski (Mamma Mia), como a excêntrica vedete Kitty Hurley, mãe de Nicole; e Jason Sudeikis como Stewart, um personagem legal que infelizmente acabou se perdendo.

Em suma: Caçador de Recompensas é um filme muito legal, que faz valer de maneira agradável tanto o seu ingresso como o seu tempo. Quem aqui vai perder essa?
This entry was posted in cinema, críticas. Bookmark the permalink.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s